Opinião Eleições 2018: Um Ponto de Vista Exclusivamente Libertário


Por: Ricardo Schmidt

====



Dia 28 de outubro de 2018 acontece o segundo turno para a eleição de governadores em vários estados e para presidente do Brasil. Porém, de um ponto de vista libertário, o que a eleição de um ou de outro representa?


Caso Jair Bolsonaro vença:


Alguns libertários que se utilizam do voto ofensivo, que veem pelo lado de que votar pelo mal menor é válido, ou para qualquer um que sempre queira diminuir o tamanho do estado é válido também, provavelmente deve depositar seu voto em Bolsonaro. A vitória de Jair de um modo geral poderia trazer vantagens ao movimento.

Pontos positivos:

  • Armamento: Possibilidade de se ter armamento em residências, mas ainda restringindo o porte.
  • Privatizações: Diminuição do estado, da burocracia, de impostos e extinção de estatais.
  • Indicação de Ministros ao STF com posições mais favoráveis à causas como armamento ou ensino domiciliar. 

Pontos negativos:
  • Conformação com a situação, assim como muitos se contentaram com Temer após a saída de Dilma.
  • Legitimação do estado: Com Bolsonaro, muitas pessoas que estavam insatisfeitas com o país ficarão mais anestesiadas, acreditando que ele seria a solução. 
  • "Fim do Socialismo": Com a ilusão de que o socialismo/comunismo irão embora, muitos podem se iludir nesse sentido, enquanto grandes estatistas ainda são eleitos.
  • Possível volta da Esquerda em 2022 ou 2026: Caso o governo de Bolsonaro possua muitas falhas e erros, os brasileiros podem ver que um governo "de direita" fez mal ao país, e a volta da esquerda na próxima eleição seria certeira.


Caso Fernando Haddad vença:


Agora com a candidatura de Fernando Haddad, no qual poucos libertários devem direcionar o voto.

Pontos positivos:
  • Mais anos do PT no poder: Como isso seria benéfico? Assim, o PT estaria no poder de 2003 a 2022, e com 17-19 anos no poder (incluindo ou não Temer), não haveria desculpas para a situação preocupante do país com a crise e violência sem igual. A culpa não seria de Bolsonaro ou da "direita", mas sim do PT e esquerda.
  • Descrença no estado: Com mais 4 anos de PT, muitos brasileiros veriam o estado com descrença, e não acreditam mais no mesmo.
  • Movimentos emancipatórios: Com Haddad no poder, com sua grande rejeição e do PT em geral, muitos pensariam "Por que continuar vivendo num local onde todos votam contra o que desejo controlando minha vida?", e isso incentivaria mais movimentos separatistas pelo país, até mesmo a emancipação individual. 
  • Movimentos federalistas: Também nessa linha, com Haddad, movimentos federalistas poderiam ganhar mais força, afinal, os estados que não votaram em Haddad iriam preferir que a influência do presidente fosse pequena ou inexistente, querendo a transferência dos poderes de Brasilia para os estados. 


Pontos negativos:

  • Inchaço do estado: Aumento de impostos e economia keynesiana no seu auge.
  • Alta regulação: O governo Haddad seria extremamente regulador, até mesmo com controle de preços, um desastre que o Brasil já passou com o governo Sarney e que nenhum brasileiro que experienciou isso gostaria de ver novamente. 
  • Armamento: O acesso à armas continuaria muito difícil e regulado. 
  • Censura: Controle social da mídia, podendo ela ser televisa, ou como redes sociais em gerais. Caso empresas de comunicação e mídias sociais se sintam extremamente reguladas, elas podem sair do país, assim como na China.


Seja o que for, o movimento deverá se posicionar como oposição em ambos os casos.